16 de julho de 2020

Jovem de 15 anos morre de peste negra depois de comer marmota

Marmota   PAVEL MIKHEYEV

SIC Notícias 16.07.2020 09h44

Caso, que ocorreu na Mongólia, obrigou as autoridades de Saúde a impôr quarentena na zona Oeste da região.

Um jovem de 15 anos morreu de peste negra na Mongólia, no passado domingo, depois de ter caçado uma marmota e comido a carne do animal, um roedor com a aparência de um esquilo, no entanto de maior dimensão, que tem sido associado à doença na região.

A informação foi avançada pelo Ministério da Saúde da Mongólia, que após a realização de testes na autópsia, que confirmou a infeção do jovem, impôs medidas de quarentena na região de Tugrug, na zona oeste do país.

O período de quarentena foi decretado no domingo e termina no próximo sábado.

Por precaução, 15 pessoas que estiveram em contacto com o jovem estão em isolamento, sendo que nenhuma apresenta qualquer sintoma, avança a CNN.

CASOS DE PESTE NEGRA DETETADOS NAS ÚLTIMAS SEMANAS

Nas últimas semanas foram detetados quatro casos suspeitos de infeção por peste negra. Três na região chinesa da Mongólia Interior e um na Mongólia.

No entanto, a Organização Mundial da Saúde sublinha que a doença ocorre regularmente e tem tratamento.

A OMS declarou que está a vigiar de perto os casos de peste bubónica detetados na China e na Mongólia, enfatizando que a situação não representa uma grande ameaça e está "bem administrada".
"No momento, não consideramos que seja de risco elevado, mas estamos a vigiar de perto" a situação em parceria com as autoridades chinesas e mongóis, disse a porta-voz da OMS, Margaret Harris, numa conferência de imprensa em Genebra.
Em nota enviada aos media, a OMS informou que foi informada pela China "em 06 de julho de um caso de peste bubónica na Mongólia Interior".

A OMS enfatiza que a peste é "rara" e que geralmente é encontrada em certas áreas geográficas do globo onde ainda é endémica.

"A peste bubónica esteve e está connosco há séculos", disse Margaret Harris.

Na China, casos esporádicos de peste foram relatados na última década, segundo a OMS, que revela ter havido 3248 casos em todo o mundo entre 2010 e 2015.

Entre 1928 e 2018, foram detetados 692 casos de peste negra na Mongólia, dos quais 513 morreram da doença.

Os roedores são os principais transmissores da doença para humanos, que também pode ser transmitida através da picada da pulga ou de humano para humano

Sem comentários:

Publicar um comentário