23 de julho de 2020

A tamanha ignorância, insensatez e falta de vergonha na cara, faz o PAIGC organizar uma manifestação a frente da sede da União Europeia, para reclamar de assuntos que são de um país africano, mediados pela CEDEAO e a União Africana.....

Jorge Herbert

A tamanha ignorância, insensatez e falta de vergonha na cara, faz o PAIGC organizar uma manifestação a frente da sede da União Europeia, para reclamar de assuntos que são de um país africano, mediados pela CEDEAO e a União Africana.

Essa manifestação, para mim, é mais uma clara demonstração do nível de alienação política em que se encontra o líder do PAIGC, que no entanto foge de explicar aos guineenses com que meios financeiros adquiriu o apartamento de luxo que tem em Sacavém.

Hoje, Bruxelas assistirá ao choro dos derrotados nas eleições presidenciais na Guiné-Bissau, enquanto os residentes em Sacavém ficarão a saber que albergam no meio deles um político africano que compra um imóvel de luxo na Europa enquanto o seu povo vive na miséria e que prega a moralidade política mas não é capaz de justificar a proveniência do fundo utilizado para a compra desse imóvel...

Depois de Sacavém, a política guineense jamais será a mesma...

Jorge Herbert

2 comentários:

  1. Dinheiro do povo guineense utilizado para pagar estes marginais emigrantes sem trabalho para envergonhar o país que os viu nascer. Triste cena...com o liderzinho de Império tudo é possível. Nunca imaginei coisas assim neste século.

    ResponderEliminar
  2. A manifestação de Bruxelas foi manifestação dos desesperado que viviam a custa dos subsídios. A torneira fechou. É hora de cada um procurar o trabalho. A manifestação de Bruxelas não vai ter nenhuma consequência. Foi a perda do tempo. O vosso DSP foi pobre e em 14 meses no governo tornou-se o homem rico. Um grande cleptocrata que a Africa já viu. Se PAIGC quiser continuar na senda politica de Guiné de livrar-se de DSP.

    ResponderEliminar