29 de março de 2020

VÍDEO - Covid-19: Milhares tentam 'fugir' das cidades após perderem trabalho

Imagens partilhadas nas redes sociais mostram milhares de pessoas a tentar fugir das principais cidades após a quarentena imposta pelo primeiro-ministro Narendra Modi.


Depois de Narendra Modi, primeiro-ministro indiano, ter decretado, na passada quarta-feira, quarentena obrigatória para a população do país, milhares de pessoas estão a tentar fugir, em desespero, das principais cidades. 

Imagens partilhadas nas redes sociais mostram 'amontoados' de homens e mulheres a tentarem, depois de perder os seus trabalhos, por causa da quarentena imposta, regressar às suas cidades-natal.

No vídeo que lhe trazemos de seguida podem ver-se milhares e milhares de pessoas perdidas, isto depois de os principais meios de deslocação na Índia, nomeadamente autocarros e comboios, terem 'colapsado' devido a um aumento abrupto de procura de viagens.


noticiasaominuto.com

COVID-19 - "Não temos dinheiro e precisamos de comer": Crise social no sul de Itália

Segundo a agência AFP, a polícia italiana está a sair à rua para proteger supermercados no sul de Itália.


Itália, neste momento o epicentro da pandemia de Covid-19 na Europa, está a enfrentar diversos problemas de ordem sanitária, mas, segundo o relatado pela agência AFP, também prevê enfrentar graves distúrbios sociais se a crise de saúde pública continuar de forma tão acentuada a afetar o país.

Com a população de quarentena há mais de duas semanas, com relatos de dificuldades para pagar as suas contas e fazer face às necessidades mais imediatas, o governo e as autoridades temem agora uma escalada de rebelião social.

Segundo o relatado pela AFP, a polícia italiana estará já, na Sicília, à porta de supermercados, com o agentes armados com bastões e revólveres como forma de evitar 'roubos' como os reportados durante os últimos dias.

De acordo com este meio, nos últimos dias algumas pessoas terão ido aos supermercados locais e, ao chegar à fase de pagamento das suas compras, terão fugido do local sem pagar, alegando não terem dinheiro.



The sale of alcohol has been banned in the capital in a bid to reduce violence against children during the period of confinement over the spread of the COVID-19 pandemic, the government announces http://u.afp.com/3qG7 

Ver imagem no Twitter
Police with batons and guns have moved in to protect supermarkets on the Italian island of after reports of looting by locals who could no longer afford food http://u.afp.com/3qGb 

Ver imagem no Twitter

"Não temos dinheiro e precisamos de comer", terá gritado um dos 'assaltantes' para os empregados de uma superfície comercial da qual saiu sem pagar.

O jornal Corriere della Sera noticiou que os comerciantes locais estão a ser pressionados para oferecer alimentos à população, descrevendo esta publicação a situação vivida no sul de Itália como uma "bomba social" à espera de explodir. 

O ministro Guiseppe Provenzano, em declarações ao La Repubblica, diz temer que a situação se transforme numa crise de "raiva e ódio". "Tenho receio de que a preocupação partilhada por grande parte da população, relativamente à saúde, salários e o futuro, se transforme em raiva e ódio se a crise continuar", afirmou Provenzano.

Relembre-se que Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, com 10.023 mortos em 92.472 casos registados até sábado.

noticiasaominuto.com

Leia Também: Quem vive e quem morre: dilemas éticos no surto da Covid-19

HUMILDADE, ACIMA DE TUDO!

Por: yanick aerton

Sinceramente, tenho dificuldades em perceber o que se passa na cabeça de alguns governantes do meu país. Às vezes penso que estou na Coreia do Norte e não na Guiné-Bissau, devido ao aparato militar e policial que vejo atrás de algumas personalidades que ocupam altos cargos no aparelho do Estado.

Qual e o medo? De algum atentado ou da aproximação com o povo para não ouvir as suas críticas? Anta limpa alguin tâmbi difícil nês terra, ica son pá bu seta sedu kamikaze.

Os Guineenses são pacíficos e nunca haverá situação de violência que leve até a atentados contra seja quem for que exerça alguma função de responsabilidade ao nível do Estado.

Com tantas necessidades de homens para as tarefas prioritárias, porque é que devemos ter esse número exagerado de polícias e militares a escoltarem o Primeiro-Ministro e o Ministro do Interior, ao ponto de serem confundidos com o Presidente da República quando passam.

Em relação ao Primeiro-ministro, isso começou com o Aristides Gomes, que, por ter aparecido da forma como apareceu, portanto com rabo-de-palha, tinha que se rodear de um grande aparato, porque se julgava vulnerável a qualquer acção de pessoas cujos problemas abusiva e arrogantemente se recusou resolver.

Se o Presidente da Assembleia Nacional Popular, que é a segunda figura do Estado, nas suas deslocações ou mesmo na sua residência não dispõe de tanta força policial e militar, porque devem essas duas personalidades ser escoltadas de forma tão musculada, como se pertencessem a outra Republica?

Contrariamente àquilo que o General Presidente pretende, agora é que estamos perante a República das bananas. As vezes dificilmente conseguimos descortinar quem vem ou vai, se é o General Presidente, quando as sirenes tocam e os militares numa situação de prontidão combativa exibem as suas armas.

A alternância, por outro lado, significa proceder de forma diferente mas humildemente e não continuar com as más e condenáveis práticas herdadas. Ou é a forma de mostrar que SOU IMPORTANTE, QUEM MANDA SOU EU, ou AQUI ESTOU PRESENTE, uma espécie de comportamento de vaidade?
BO NA PUI BO FASTIADU, PABIA IKA KILA CU NA ESPERADU DI BOS.

Tivemos no passado primeiros-ministros que nos orgulharam, alguns dos quais excelentes técnicos com provas dadas, nomeadamente o Caetano Ntchama, o Francisco José Fadul, o Rui Barros e o Faustino Imbali. Outros menos técnicos, mas que se destacaram durante a sua passagem na Prematura, o Carlos Gomes Júnior o General El Mokhtar, e ainda verdadeiros patriotas como o Artur Sanha e o Martinho dafa cabi.

Nenhuns desses primeiros-ministros ostentavam tanto aparato como o Nuno Gomes Nanian e o seu ministro do Interior.
Bo rapati Mon. Anos tudo no luta nan pá és poder firma, no misti odja és governo na mostra humildade cu boa governação pá pudi calanta adversários cu misti odja no desgraça.

Há muito trabalho a vossa espera, ninguém vos vai fazer mal porque são simplesmente servidores públicos e Guineenses escolhidos para promoverem o desenvolvimento e garantirem o bem-estar das populações.

Este artigo tem como objectivo único chamar a atenção dos novos governantes de que é a HUMILDADE deve determinar o seu comportamento para melhor granjear a simpatia dos governados, caso contrário, serão metidos no mesmo saco que os demitidos.
Estamos juntos, mas na verdade, e desde que estejam a trabalhar dentro daqueles princípios que o General Presidente quer ver observados.

Por favor, não transformem a Guiné-Bissau na Coreia do Sul, onde os dirigentes são uns autênticos Louis IV, lê Roí Soleil.
DAPI CU FADI!

SE FOSSEM NOMEADOS NA SEQUÊNCIA DE UMAS ELEIÇÕES LEGISLATIVAS, ACHO QUE NÃO SE DESLOCARIAM SENÃO EM HELICÓPTEROS. BO TEMPACENSA, BO RAPATI NUMERO DI HOMIS ARMADOS BO TRAS. I FIU DIMAS, ALEM DI MEDUNHO!

Deus abençoe a Guiné-Bissau!
Por O primeiro ministro da Guiné-Bissau - Eng. Nuno G. Nabiam

Sobre as informações postas a circular, em como o governo que eu tenho a honra de chefiar recebeu uma falsa vacina para o combate à covid-19, não passa de boatos vindos de pessoas desatentas e de ma-fé. Pois até este preciso momento o governo não recebeu nenhuma vacina, como se pode ver no comunicado.

Ainda, gostaria de apelar a população para acatar as orientações dadas pelo pessoal de saúde e, seguir as medidas já tomadas e a serem tomadas pelo governo, em articulação com os parceiros e os nossos proficionais de saúde.

Deus abençoe a Guiné-Bissau, e um bem haja a todos!

Bissau, 29 de março de 2020.

Primeiro ministro - Eng. Nuno Nabiam


Por O primeiro ministro da Guiné-Bissau - Eng. Nuno G. Nabiam

Caros guineenses, antes de mais nada, aceitem os meus respeitosos cumprimentos de elevada estima e consideração!

Em nome do governo da República da Guiné-Bissau a que eu tenho o prazer e a honra de dirigir, informo a cada guineense, de que, independentemente de suas orientações políticas ou ideológicas, uma das condutas que podem esperar de mim é, respeito, tolerância, diálogo, transparência, sentido de responsabilidade, etc. São esses os valores que me orientam como ser social. Valores esses que eu coloco acima de qualquer cargo político.

Outrossim, como é do conhecimento de todos, o momento em que estamos, convida a cada um de nós a ter o máximo cuidado diante de notícias que nos chegam de vários quadrantes. Sendo assim, para evitar o consumo inapropriado de notícias falsas e perigosas, presamos tomar muito cuidado com informações manipuladas que aparecem na nossa frente. Nessa perspectiva, eu convido-vos para acompanharem as nossas ações governamentais a partir deste espaço e/ou em outros canais oficiais.

Saudações calorosas!

Bissau, 29 de março de 2020.

Primeiro ministro - Eng. Nuno Nabiam

Marciano Indí, José Miguel Dias e Cipriano Cassamá deputados eleitos nas bancadas da APU PDGB e PAIGC, desdobram no apoio ao combate ao vírus de Covid-19.

Localidade de Bôr arredores de Bissau foi palco hoje da entrega dos materiais higiênicos e desinfetantes aos habitantes do círculo eleitoral número 10 no sectores de Safim e Prabis.

Perante autoridades administrativas e policiais, Marciano Indí e José Miguel Dias aconselharam os populares o cumprimento integral das orientações das autoridades sanitárias, para vedar a propagação do vírus de Covid-19.


Nicolau Gomes Dautarim

Força Aérea alemã transporta doentes de Itália para hospitais na Alemanha

Outros quatro pacientes deverão ser transferidos para o país nos próximos dias.

Força Aérea alemã transporta doentes de Itália para hospitais na Alemanha

Oito pacientes de nacionalidade italiana e francesa infetados com coronavírus foram transferidos para hospitais na Alemanha, este sábado, confirmaram as autoridades.

Seis dos infetados são de Lombardia, Itália, a zona mais afetada pela pandemia, e foram levados pela Força Aérea alemã para hospitais em Cologne, Bonn e Bochum.

A informação foi confirmada pelo Ministro da Defesa no Twitter. 


Dois pacientes de Metz, França, também foram transportados de avião para a Alemanha, para a cidade de Essen. 

[] Ce matin et en coordination avec le SAMU et la sécurité civile, un hélicoptère NH90 Caïman est engagé pour assurer l’évacuation de deux patients atteints du . Arrivé à Metz depuis Phalsbourg, il fait route pour un hôpital de la ville d’Essen, en Allemagne.
Ver imagem no Twitter

Outros quatro pacientes, dois da França e dois da Itália, deverão ser transferidos para a região alemã nos próximos dias, informou o governo alemão em comunicado.




RABI FALA DE CORONAVIRUS EM FULA


Covid-19: Itália ultrapassou a barreira dos 10 mil mortos

Itália vive situação dramática. © via REUTERS - POOL
Texto por: Marco Martins

Itália ultrapassou uma barreira macabra no sábado 28 de Março com mais de 10 mil mortos. O território italiano é o país com o maior número de vítimas por causa do Covid-19.

199 países e territórios estão hoje contaminados pela pandemia do Covid-19. O número de casos confirmados também continua a aumentar, tendo já ultrapassado os 670 000 infectados.

Itália ultrapassou os 10 000 mortos

Itália continua numa situação dramática, tendo ultrapassado os 10 000 mortos. Espanha segue nesta classificação macabra com 5 982 mortes, à frente da China com 3 300.

A França contabiliza neste momento 2 314 mortos, enquanto os Estados Unidos têm 2 211 mortes. O país africano com mais mortos é o Egipto que tem 36, à frente da Argélia com 29 e de Marrocos com 25.

No total o mundo conta mais de 31 000 mortes.

Estados Unidos com mais de 123 mil casos

Pelo sexto dia consecutivo os Estados Unidos ultrapassaram os 10 mil casos, tendo-se fixado em 19 302, um recorde, no sábado. No total são mais de 123 mil pessoas infectadas no país. Itália está no segundo lugar com 92 472 e a China ocupa a terceira posição com 81 439.

Estas três Nações são as únicas a terem ultrapassado os 80 mil casos.

De notar que em França o número de casos aponta agora para os 37 575, enquanto o primeiro país africano é a África do Sul com 1 187 infectados.

No total o mundo conta mais de 660 000 casos.

140 mil pessoas curadas

Lembramos também que mais de 140 mil pessoas se curaram após terem sido infectadas pelo novo coronavírus.

A China é quem contabiliza o maior número de pessoas que recuperaram da doença com mais de 75 mil. Espanha e Itália seguem com mais de 12 mil.

5 700 pessoas também recuperaram em França, enquanto o Egipto é o país africano com o maior número de pessoas curadas com 121, à frente da Argélia e da África do Sul com 31.

RFI
Mãe das Crianças Guineenses!

Um gesto de Solidariedade neste período invasatório de coronavirus. 

A primeira Dama da República da Guiné-Bissau, a Dona Dra. Dinisia Reis Embaló, faz gesto de Solidariedade num envolope fexado, cujo montante sem revelar. 

O nobre ato foi na sua residência em alto Bandim, com o responsável de aldeia, para fazer face à Pandemia.

Bissau 29 de Março 2020.

Obs. Nô Djunta Mon Nô djuda N'utru previne doença, Nô laba Mon ku sabão Nô fica na casa.

Fonte: Walter Félix Da Costa

OPINIÃO AAS: COVID-19 - Queremos números

Depois dois dois primeiros casos de infectados com o novo Coronavírus, nunca mais se ouviu falar em números.

Será que são só aqueles que já sabemos, de há uma semana?

Esconder ou ocultar os números não ajudam e só pioram as coisas.

Em todos os países com infectados há uma actualização diária que é feita pelas autoridades de saúde.

Já ouvi falar em cinco, seis casos. Ninguém sabe ao certo. Não estamos a pedir nomes ou moradas. Não. Queremos números. Números concretos. As regiões, que cidades?

O P5, que delegou o ponto focal (OMS, ONU e Banco Mundial) para acompanhamento que nos diga oficialmente o que sabe. 

AAS

COVID-19 - Polícia da África do Sul usa balas de borracha para tirar pessoas da rua

África do Sul cumpre este domingo o seu terceiro dia de quarentena decretado pelo presidente do país, Cyril Ramaphosa. Incidentes terão, segundo o The Guardian, ocorrido este sábado.


A África do Sul cumpre este domingo o seu terceiro dia de quarentena imposta pelo presidente do país, Cyril Ramaphosa, como forma de evitar uma rápida propagação do novo coronavírus no país.

No entanto, com as ruas de Joanesburgo ainda cheias de pessoas, a polícia terá recorrido, segundo o The Guardian, à força - disparos com balas de borracha - para tirar os habitantes das ruas.

Segundo o relatado pelo jornal britânico, com 1,100 casos oficialmente já diagnosticados, o governo local irá procurar mitigar ao máximo o crescimento da curva de contágios.

Num vídeo da cadeia News24, pode ver-se a réporter da estação a ser apanhada nos disparos das autoridades, tendo de dizer várias vezes que tem autorização oficial para estar nas ruas.

NAOM

CORONAVÍRUS - Cinco funcionários e um idoso infetados em lar de Estarreja


24 utentes aguardam a realização de testes.

Foram diagnosticados seis casos de infeção pelo novo coronavírus no Lar da Associação Vila Nova, em Estarreja, sendo que 24 utentes esperam o resultado dos testes. Diamantino Sabina, presidente da Câmara de Estarreja, disse que não há material de proteção individual suficiente, e pede ajuda ao Governo.

SIGA AQUI AS ÚLTIMAS INFORMAÇÕES SOBRE A PANDEMIA DE COVID-19

SIC Notícias

O perigo de aglomeração de pessoas neste momento. Em todos os Bairros de Bissau ena Avenida dos CLP e Rotunda do Aeroporto segundo informações que nos chegam, as pessoas continuam jogando futebol, fazendo exercícios físicos, etc.


Fonte: Cadí Seidi

Guiné-Bissau - Ainda sobre as tendas no HNSM...


As tendas podem ter variadíssimas utilidades em situações consideradas de emergência. Por isso, existem os mais variados tipos de tendas com as características e condições específicas consoante a necessidade.

No caso das tendas que se encontram montadas em frente ao HNSM, não são tendas para internamento de pacientes, mas sim tendas que irão servir para a triagem dos eventuais portadores dos sintomas do COVID-19. O vírus por ser altamente transmissível, não se deve arriscar a livre circulação dos potenciais portadores do mesmo, pelos corredores e outras divisões do hospital, colocando em risco todos os que usufruem dos serviços hospitalares e principalmente os pacientes portadores de outras doenças, que por conseguinte pessoas de alto risco em caso de contágio.

Não existe nenhuma outra razão, para o qual as tendas foram montadas à entrada do HNSM.

Há casos, em que o elevado número de pacientes, supera as condições dos hospitais, nesses casos, são usados tendas especiais preparadas para o internamento dos infectados.

A minha humilde explicação, para os eternos distraídos e mentes pequenas.

Por Belmiro Pimentel

Guiné-Bissau: Cadí Seidi - O meu ponto de vista (não estou a criticar e nem a dar lições):

Por Cadí Seidi

1- sobre colocação de tendas de triagem na entrada do HNSM:

- Se estivesse-mos num país como EUA, Holanda, Portugal, etc. Podia ser normal, porque eles têm vários hospitais de atendimentos terciários e por especialidades, o que infelizmente não é o nosso caso;

- Naquela entrada principal, situa-se a única urgência para medicina interna, ortotraumatologia e cirurgia, também lá em cima, se encontram a sala de internamento e o bloco operatório de ortotraumatologia e serviços de caumatologia ou queimado;

- Os pacientes por outras patologias vão continuar a dar entrada naquelas urgências;

- Está-se à finalizar o futuro serviço de atendimento de Coronavirus, que se encontra quase no fundo do recinto hospitalar;

- Não seria melhor, colocar essas tendas nas proximidades do centro de atendimento do Coronavirus?

-Não seria mais facil abrir um portão de entrada na parte do Mavegro ou do ceminterio para facilitar o acesso, reduzir a trajetória e possibilidades de contaminação dos pacientes no estado de imunodeficiência transitória, tal como pacientes de ortotraumatologia e de queimados?

2- Se fosse eu a dicidir, onde ficaria o centro de acolhimento do Coronavirus, teria 2 opções:

A) - tirar os pacientes do hospital Raoul Floreau para tal serviço previsto para Coronavirus e utilizar todo esse hospital para efeito;

B) - Solicitaria a Clínica Madrugada a sua benevolência, por ser um dos melhores eqipado e com um vasto espaço no campo de futebol, que poderia servir de local de colocação de várias tendas inclusive de triagens, testes, de quarentena, etc.

3 - Pelos vistos não temos ventiladores mecânicos suficientes. Com o anuncio dos montantes em dólares, podia-se comprar pelo menos, 100 ventiladores com seus acessórios e dependendo de tipos, podia- se já reservar 200 botijas de oxigênio no mínimo, para eventuais necessidades;

4 - Prever também desfibriladores;

5 - Ter já os médicos e enfermeiros treinados na assistência cardiorrespiratória e reanimação ;

6 - Ter combustível e geradores prontos em caso de corte electrónico;

7 - Ter sisternas de reservatório de água;

8 - Alimentos para técnicos e pacientes;

9 - Ambulâncias reparadas, com óleo e combustível, rádio de comunicação e sirena funcional;

10 - Computador para regicasoregistoss;

11 - Não vi nada sobre tratamentos dos cadáveres ( que Deus não permita, mas pode acontecer se aparecer doentes graves);

12 - Ter um guião de todas às necessidades, do disponível quantificado e qualificado e do que falta.

Bissau, 29 de Março de 2020
Dra. Cadi Seidi
Cidadã atenta e defensora de causa social.

Aconteceu na GÂMBIA. Boas coisas devem ser imitadas..👏👏👏





Domingos Malungo

COVID-19 - Balanço dá conta de mais de 31 mil mortos no mundo

A pandemia causada pelo novo coronavírus matou pelo menos 31.412 pessoas em todo o mundo, desde dezembro passado, segundo um balanço da agência France-Presse (AFP) a partir de fontes oficiais, às 11:00 em Lisboa.


Mais de 667.090 casos de infeção foram oficialmente diagnosticados em 183 países e territórios desde o início da pandemia.

No entanto, este número de casos diagnosticados reflete apenas uma fração do real número de infeções, já que muitos países estão a testar apenas os casos que requerem apoio hospitalar. Destes, pelo menos 134.700 são já considerados curados.

A Itália, que registou a sua primeira morte por coronavírus no final de Fevereiro, é o país mais afetado em termos de número de mortes, registando 10.023 mortos num total de 92.472 casos. As autoridades italianas dão conta de 12.384 pessoas consideradas curadas.

A seguir a Itália, os países mais afetados são Espanha, com 6.528 mortes em 78.747 casos, China continental, com 3.295 mortes em 81.394 casos, o Irão, com 2.640 mortes em 38.309 casos, e França, com 2.314 mortes em 37.575 casos.

A região da China (excluindo os territórios de Hong Kong e Macau), onde a epidemia começou no final de dezembro do ano passado, contabilizou um total de 81.394 casos, incluindo 3.295 mortes e 74.971 recuperações.

Em termos do número de casos, os Estados Unidos é atualmente o país mais afetado, com 124.686 infeções oficialmente registadas, incluindo 2.191 mortes e 2.612 casos curados.

No sábado, o Uruguai, a Nova Zelândia e o Mali anunciaram as primeiras mortes relacionadas com o vírus.

A Europa totalizou 22.259 mortes e 363.766 casos, a Ásia 3.761 mortes e 104.596 casos, o Médio Oriente 2.718 mortes num total de 46.596 casos, os Estados Unidos e o Canadá somam 2.250 mortes nos 130.120 casos registados, a América Latina e o Caribe contabilizam 274 mortes e 13.544 casos, a África 134 mortes e 4.267 casos, enquanto a Oceania tem 16 mortes em 4.208 casos.

Esta avaliação foi baseada em dados recolhidos pela AFP junto das autoridades nacionais competentes e em informações da Organização Mundial de Saúde (OMS).

noticiasaominuto

Leia Também:

Espanha ultrapassou os 6.500 mortos. Houve mais 838 vítimas mortais


Há, em Espanha, 78.797 casos do novo coronavírus. Em 24 horas, morreram mais 838 pessoas que estavam infetadas pela Covid-19.

As autoridades espanholas revelaram que morreram, em 24 horas, mais 838 pessoas que estavam infetadas pelo novo coronavírus. Nesta pandemia, este é o número de vítimas mortais mais alto que o país já contabilizou em 24 horas.

No total, 6.528 pessoas já perderam a vida no país, enquanto 78.797 foram infetadas. Os dados mais recentes, citados pelo El País, dão ainda conta que foram admitidos nos cuidados intensivos 4.907 doentes e que 14.709 pessoas estão curadas, depois de terem testado positivo para a Covid-19. 

Este domingo, revela o jornal espanhol, o governo aprovará, em Conselho de Ministros extraordinário, medidas mais restritivas em relação ao isolamento social. 

Pedro Sánchez indicou, no sábado, que "todos os trabalhadores de atividades não essenciais devem ficar em casa". Já Fernando Simón, diretor do Centro de Coordenação de Emergências de Saúde, vincou que o país está a chegar "ao pico" que tanto preocupa as autoridades de saúde. 

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da Covid-19, já infetou mais de 640 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 30.000.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.


Leia Também: AO MINUTO: Espanha com mais 838 mortos. Covid-19 chegou às prisões

Número de casos em África sobe para 4.282 e óbitos crescem para 134


O número de mortes em África resultante de infeção por covid-19 passou nas últimas 24 horas de 117 para 134, com o número de casos a aumentar de 3.924 para 4.282, segundo as estatísticas mais recentes.

No total, mantêm-se os números de países com casos registados (46) e o de países com mortes por infeção pelo novo coronavírus (19).

De acordo com dados do Centro para a Prevenção e Controlo de Doenças (CDC) da União Africana (África CDC), a África central regista 214 casos, mantendo-se nove mortes e seis recuperações, enquanto a África Oriental regista 324 casos, quatro mortes e seis recuperações, igual a sábado.

No norte de África, onde se concentra a maior parte dos casos, o CDC atualizou os números, registando agora 1.716 casos, aumentando o número de mortos de 85 para 98, e também o número de recuperados, de 205 para 211.

Na África Austral, há 1.230 infetados, dois mortos e 31 pessoas conseguiram recuperar.

A África Ocidental, por seu lado, registou um aumento das infeções, de 691 para 798 casos, que resultaram em 21 mortes e 48 recuperações.

Nos países lusófonos, Angola aparece com três casos confirmados de infeção pelo novo coronavírus, Cabo Verde regista cinco e uma morte, Moçambique confirmou oito e a Guiné-Bissau dois.

Na Guiné Equatorial, que integra a Comunidade de Países de Língua Portuguesa, as autoridades confirmaram 13 casos positivos de infeção pelo novo coronavírus.

Dos países lusófonos, apenas São Tomé e Príncipe não tem qualquer caso confirmado.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já infetou mais de 667 mil pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 31.000.

Dos casos de infeção, pelo menos 134.700 são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Vários países adotaram medidas excecionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

MBA (CFF) // JH


Lusa/Fim